terça-feira, 22 de novembro de 2011

PULANDO POÇAS

Cada um encara a chuva à sua maneira!
Lugares diferentes, visões diferentes!
Mas residem igualdades que a vida impõe.
Como pular poças, por exemplo!
Coisa de criança...de gente grande também!
Foi assim que a Sissym, do blog Zoom narrou
a chuva mais recente em sua vida.
Simples, torrencial, poética...
Lá está o texto e as fotos.
Veja em: http://blogzoomideiasdafadasemfim.blogspot.com/
Aqui, mais abaixo, está o meu texto, da minha chuva, das poças que pulei um dia.
E assim, palavra inventada distante ganha asas, invade lembranças, cutuca a imaginação e faz brotar poesias por todos os jardins da existência.
Mas há que chover sempre para que estas sementes sigam germinando.

2 comentários:

Asas da Ilusão disse...

"Deixa chover, deixa a chuva molhar..." Como tudo na vida, depende do observador, a chuva pode ser um impecilho, ou um catalizador de liberdade! abraços!

Sissym disse...

Pedro... é o lado bom de uma cidade largada, podemos esquecer um pouco, nos divertir pulando as poças e tambem pensando no lado positivo: a necessidade de todo sistema de vida - ter água... se possível.. potável.

BEIJOS e muito obrigada