segunda-feira, 9 de abril de 2012

A POESIA DE SUZANA MAFRA

PATOS
-Suzana Mafra -
O pato nada sabe do que sinto ou vejo
pescoço escondido em si mesmo

Ninguém se aborrece com o pescoço do pato
Fosse um homem a parar na beira da rua
com o pescoço dobrado e a cabeça enfurnada em si

Ninguém se aborrece com os patinhos
Ninguém se importa mesmo com os poucos patinhos dentro do cercadinho
Último vestígio do mundo selvagem


Veja mais da autora em http://borboletrasnoquintal.blogspot.com.br/

3 comentários:

Sissym disse...

Ola Pedro!
Curioso isso.
Pois imaginei situações diversas.
Voei... e nem pata eu sou!
Vou visitar o link que vc indicou!

Saudades de voce!

beijos

INAMAR disse...

Mano , sabe onde fui com essa poesia ? Isso! Num pedacinho de nossas vidas , na "Baronesa".
Legal a poesia .bjks

Sissym disse...

Querido Pedro, uma vez voce me disse isso: "nao sabia como escrevi aquelas palavras". Talvez exista uma magia inexplicavel quando as emoções estão a flor da pele. Escrever é um porta para o mundo, e nesta nova era temos a oportunidade de não nos tornarmos esquecidos. E cabe a cada um guardar na pasta tesouros o que nos modifica para melhor, acrescentando pinceladas de inspiração e carinho.

Eu que agradeço.

Beijos